Com estilo industrial e cores quentes

A inspiração para criar do fotógrafo Léo Fagherazzi vem, principalmente, das obras irreverentes dos fotógrafos David LaChapelle e Robert Mapplethorpe. O gosto pelas cores e a personalidade marcante não ficam apenas nos cenários do profissional. Toda a atmosfera veio para dentro de sua casa, que mistura lar e estúdio.

O imóvel de 214 m², em São Paulo, passou por uma reforma de três meses que trouxe aos ambientes um toque moderno e prático, mas sem perder o conforto. “Acreditamos que é necessário um “casamento” entre o cliente e o arquiteto para alcançarmos o resultado final desejado. Nesse caso não foi diferente”, afirma o arquiteto Pedro Bazani, responsável pela transformação.

Uma parede rosa na sala de jantar, sofá laranja e o quarto branco marcam decoração assinada pelo Estúdio Pedro Bazani

A inspiração para criar do fotógrafo Léo Fagherazzi vem, principalmente, das obras irreverentes dos fotógrafos David LaChapelle e Robert Mapplethorpe. O gosto pelas cores e a personalidade marcante não ficam apenas nos cenários do profissional. Toda a atmosfera veio para dentro de sua casa, que mistura lar e estúdio.

O imóvel de 214 m², em São Paulo, passou por uma reforma de três meses que trouxe aos ambientes um toque moderno e prático, mas sem perder o conforto. “Acreditamos que é necessário um “casamento” entre o cliente e o arquiteto para alcançarmos o resultado final desejado. Nesse caso não foi diferente”, afirma o arquiteto Pedro Bazani, responsável pela transformação.

Cores

O paisagismo, assinado por Paula Tsuyama, trouxe o verde para dentro de casa. A profissional criou móbiles com espécies diferentes de plantas para valorizar o pé-direito de 3,5 metros na sala.

No quarto, Pedro optou por um ambiente neutro. “Decidimos que o espaço seria praticamente uma “tela em branco” para inspirar Léo, que aposta em muitas cores em suas obras”, explica o arquiteto.

Até no banheiro da suíte, a irreverência marca presença. As bancadas normais foram substituídas por um tanque branco. A área molhada ganhou um mix de revestimentos cerâmicos coloridos, inspirados no piso da Galeria do Rock, na capital paulista.

“Para a sala de jantar, escolhemos um rosa alaranjado. Um tom mais descontraído do que geralmente encontramos na decoração”, explica Pedro. A cor dá destaque ao living preto e branco, integrado à cozinha.

Materiais

“Nós acreditamos na valorização de materiais já existentes na estrutura original”, afirma o arquiteto, que optou por revitalizar o piso de ardósia do imóvel. Para trazer um toque industrial ao décor, o profissional apostou em sofá de couro, paredes de tijolos e cortina de voil na suíte.

Resultado

Ao mesmo tempo que o projeto segue tons de uma arquitetura clássica – por conta das tesouras do telhado – o ponto alto, na opinião de Pedro, é a irreverência e personalidade na escolha das cores.