O poder da cor na decoração de interiores

A cor está presente em todo o lado no nosso dia-a-dia: no trânsito, nas roupas, nos alimentos… e especialmente nas paredes que nos rodeiam, sob as mais diversas formas. Na decoração e no design, assume um papel essencial.

Assim, ao projetar a decoração de um espaço é crucial saber de que modo tirar proveito da cor para que nos sirva da melhor forma.

Aplicada na justa medida e no lugar adequado, a cor é o instrumento perfeito para dominar qualquer espaço. Temos sete ideias perfeitas para poder melhorar o seu espaço e elevá-lo a um outro nível usando apenas pinceladas estratégicas. Confira:

Base monocromática: uma unidade que proporcione um só tom neutro, como por exemplo uma grande carpete, torna-se na base ideal, permitindo introduzir chamativos toques de cor na divisão.

Parede e teto unificados: a pintura do teto da mesma cor das paredes têm o poder ilusório de aumentar verticalmente o espaço. Se os móveis são claros, é interessante criar um contraste com paredes em tons mais fortes; pelo contrário, branco ou tons claros nas paredes e no teto, para além de proporcionarem mais claridade aliados à luz natural, possibilitam a escolha de móveis escuros.

Ton Sur Ton: outra ótima ideia para adicionar um pouco de cor na decoração de ambientes são os papéis de parede texturados e estampados sobre uma base da mesma cor. O resultado é excelente ao combinar acabamentos, por exemplo polidos brilhantes com outros mates, ou quando se joga com a diferente intensidade de tons dentro da mesma gama de cor. Uma só parede com um ton-sur-ton escuro, de um bordeaux ou mesmo de um negro, adiciona personalidade e profundidade ao espaço.

Igualar acabamentos: um dos melhores recursos para que uma qualquer porta passe despercebida, ou pelo menos não chame muito à atenção, é dar-lhes o mesmo acabamento de cor que a parede em que está inserida.

Cores ‘relax’: a ausência de tons intensos é necessária quando se almeja criar uma atmosfera tranquila. Não há melhor espaço para aplicar esta máxima que o quarto: aqui sempre deve primar a tranquilidade e propiciar o relaxe. O branco e as madeiras são, por exemplo, excelentes aliados para conseguir este objetivo.

Numa só fachada: uma superfície contínua num tom intenso é o suficiente para aquecer um ambiente. Na cozinha, por exemplo, o chão e os móveis podem ter acabamentos neutros, e reforçar o efeito com eletrodomésticos igualmente neutros, enquanto os azulejos e as paredes possuem cores fortes, como um encanado vivo (podendo até ser aplicada a ideia do ton-sur-ton). O resultado é chamativo mas sem excessos, e é sempre beneficiado por uma boa entrada de luz natural.

Toques de cor: quadros coloridos sobre uma parede lisa de um tom neutro; objetos de design sob mesas brancas, pretas, de madeira ou de vidro; portas que se destacam ao invés de se disfarçarem, pintando-se de uma cor viva… as hipóteses são infinitas.

Fonte: Fórum da Construção